Um novo dia para Morrer

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Duxhill H.U. em Qui 18 Set 2014, 15:05

obs>
Começou uma tempestade lá fora, quem abrir os vidros vai entrar neve no ônibus e vai poder ver que o tempo está feio la fora.

_________________
. Ortus eruditio et dux optimus .
avatar
Duxhill H.U.
Admin

Nacionalidade : Cambridge, USA
Idade : 161
Cargo : Almighty
Humor : Hell
Mensagens : 2086

http://theotherside.criaforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Natalhie Archibald em Qui 18 Set 2014, 15:13

Estava tudo tranquilo.


Pensando racionalmente, de algum modo após queimar a casa e o que quer que pudesse ter lá a Bruxa pareceu sossegar, talvez deixou a divida para ser cobrada mais tarde.


Fato é que nada de ruim fora eles mesmos e seus conflitos tinha acontecido.


Portanto tudo estava bem, Mas Nate odiava altura, então o caminho todo ela veio com a mão dada ao namorado, e logo os olhos podiam ver o teleférico, e ela não queria ir, não queria ir mesmo.


Mas era melhor ter ido viu Nate.


Sentiu o solavanco e o corpo foi projetado para frente e para trás, na medida que Edge a segurava, ela o abraçava com força, mas logo ambos se soltavam a medida que o ônibus capotava, Nate que estava sentada do lado do corredor, foi jogada  para o outro lado e logo tinha alguns destroços sobre ela.


Os olhos se abriram lentamente e logo ela via Edge ali do seu lado, ainda estava muito zonza, mas estendeu a mão tocando a dele.


- Edge...




Dizia um tanto confusa, deixando ele ajeitar seus cabelos, ela consentia em positivo....


- Eu to bem...- estendia as mãos na direção das coisas que pareciam estar sobre ela, tentando empurrar.


- Me ajuda a me levantar....



As pequenas mãos logo se estendiam para ele segurar e ajudar ela a dar o impulso, eram porcarias leves que tinham em cima dela Ed, um impulso e sua gatinha estava de pé.

Natalhie Archibald

Nacionalidade : London, UK
Idade : 23
Cargo : Estudante
Humor : Seletivo
Mensagens : 756

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 15:18

Peter sentiu o primeiro sintoma de perigo do ônibus quando esse perdera o controle, estava acordado, afinal. Mas, tudo aconteceu tão rápido após aquilo, o corpo sendo jogado de um lado para o outro, os gritos dos demais estudantes: alguns bem mais estridentes e doloridos, e por fim, quando o ônibus parava, numa reação de defesa do corpo viu o mesmo tombando na direção do teto e pôs o braço esquerdo para tentar aparar a queda... Feito a merda! Todo o peso do corpo apoiado no ombro já lesionado. O grito de dor foi imediato! O choque no ombro quase fez com que ele perdesse os sentidos, de tão massivo, tão avassalador. O corpo, após isso, se chocou em algum objeto, na costas, e Peter caiu de bruços. Os olhos estavam completamente mareados, lágrimas escorriam dos olhos enquanto ele se contorcia de dor de um lado a outro segurando o braço esquerdo com a outra mão! Tentava se recompor da dor, os olhos fechados, os dentes rangendo, soqueava o chão e revirava-se em profundo desespero (porra por 1000 é sacanagem fdp). Não fosse aquilo, também sentia o choque a coluna, que era uma dor até suportável próxima a que sentia ao braço. Alguns segundos de puro sadismo, já mais adaptado a todo aquele cenário de horror para consigo mesmo, abriu os olhos e viu a mão, os cabelos, inconfundíveis... Como ajudaria ela se mal podia se livrar da própria dor? Vai herói, se vira agora! Peter colocara os dois pés ao fundo, na lataria do ônibus e se impulsionava na direção da mão. Ainda chorava, a dor era muita, parecias, as vezes doer apenas 100%, enquanto outras vezes vagavam entre 200%, 500%, mas não menos...

Pegou a mão da jovem e de súbito subiu para o pulso dela, quase que por instinto, tentando achar algum tipo de pulsação.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 15:40

E finalmente decidem ligar o ônibus. Mas o ronco forte do motor não foi nem um pouco animador, pelo contrário. Aileen ajeitou-se no banco, encostando as costas de uma forma excessivamente ereta, fechou os olhos e inconsciente do ato, levou a mão até o peito, no ponto onde o coração batia de um jeitinho descontrolado. Nada de alarmante, considerando os últimos perturbados minutos pelo qual passara. E por isso, ela decidiu tirar o restante do caminho para ficar quietinha, recuperando-se daquele episódio de alto estresse.

Não que fosse ter tal oportunidade... claro.

Quando o ônibus deu o primeiro solavanco, as mãos de Aileen se agarraram no banco da frente, tentando se manter estável, mas não adiantaria. Sua visão ficou turva assim que o corpo começou a ser jogado para baixo e para cima, com força. Ela gemia toda vez que se chocava contra algo, e no momento em que o ônibus finalmente estabilizou, virado ao contrário, a reação instantânea de Aileen foi levar a mão até o braço deslocado, sentindo os olhos molhados pela dor e não era capaz nem de se mexer.

Era como se estivesse tendo um dejá vù, afinal.

Após alguns segundos de sofrimento extremo, que não passou completamente, claaaaro, Aileen conseguiu focalizar a figura caída de Noah, com um corte longo no supercílio. Ela até tentou se comunicar com ele, mas a garganta doía, e a única coisa que conseguia fazer era chorar. Tentou se mexer, porém... que dor dos infernos!

- Noah...! Noah... – sibilava o nome dele em meio ao desespero.

Estava começando de novo, Aileen não conseguia acreditar. Um simples acidente...? Haha! Até parece.

Pelo seu pouco conhecimento, ela procurou sentir o ponto exato do tormento, e conseguiu identificar o problema. Não estava com o braço quebrado, e sim deslocado, mas ela não sabia colocar no lugar. No entanto...

Sabia o quanto o processo era sofrido.

- Me responda, por favor...

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 15:41

ADENDO:

Ficava pelo menos um pouco mais tranquilo, afinal de contas Natalhie estar bem ja era metade do caminho. Logicamente ajudava ela a levantar procurando disfarçar a dor no braço. Vamos la pessoal, nada de perder tempo. Extendia as mãos dando o impulso necessário para que ela se levantasse e voltava a falar.

- Alguem quebre uma janela...Quanto mais tempo ficarmos aqui pior. Precisamos ir la fora buscar socorro.

E quem garante que la fora é seguro afinal?

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Blake Harris em Qui 18 Set 2014, 15:42

Peter tocava a mão completamente coberta de sangue, e logo vinha o pulso, tinha pulso. Significa que em meio a tudo aquilo Blake estava viva.

E no momento que ele tocou o pulso dela, ele pode sentir o tranco assustado que ela deu puxando o braço, e logo as pernas impulsionavam o banco, que estava a frente dela a preensando contra a traseiro do ônibus, para a frente, quase num chute, Peter viu quando o que sobrou do banco voou para frente, e logo podia ver que havia um corpo sobre Blake, este era o dono de tanto sangue. Quase como estivesse abraçando Blake, um dos braços ficava ao ombro dela, e era nítido a barra de ferro atravessada no estomago do corpo, exatamente o que tinha impedido de ser Blake. Por sorte no momento da batida um dos Omegas provavelmente se jogou sobre Blake pra protege-la, ou caia por engano, vai se saber. Fato é que o cano que era para pegar a menina em cheio, pegou o rapaz, e o corpo dele a impediu de ser ferida por completo.
Blake tossia muito, havia sangue no rosto, no corpo inteiro, e quando ela abriu os olhos viu a cabeleira loura sobre seu peito, as mãos tocavam tremulas os ombros do rapaz, e ela via em total terror, aquela barra de ferro nele, e sangue por todos os cantos.

- Meu Deus...

Ela dizia em meio as lagrimas que começavam a sair dos olhos.

Ela tentava de todos os modos deslizar o corpo pro lado para sair de baixo do corpo do rapaz, e o corpo escorregava em meio a todo aquele sangue com facilidade, jogando-se para um canto do ônibus, ela levou ambas as mãos ao rosto e ficou assim.

Por mais que você veja pessoas morrerem, da forma como ela já viu. Não tem como não se acostumar, ou não sentir. Isto porque você ainda não abriu seus olhinhos Blake pra ver mais uns 3 corpos jogados por la.
Parecia ainda não ter notado Peter, exatamente porque ela precisava se recompor. Porque alguns janelas estavam quebradas e ela sentia muito frio, e aquele mal estar de antes estava no corpo todo.

E você precisa...


Sobreviver.

Blake Harris

Nacionalidade : Americana
Idade : 24
Cargo : Head Cheerleader
Humor : Cinica
Mensagens : 623

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Natalhie Archibald em Qui 18 Set 2014, 15:48

Edge...você já pode começar a sentir frio dentro do onibus, imagina la fora, quantos vão sobreviver? Você sabe onde está?
Por sorte Edge seu corte não fora tão profundo, era um corte feio mas você não ia sangrar até a morte. Não posso dizer os mesmos dos outros.
Afinal Nina esta caída em um canto completamente desacordada, com sangue na cabeça, e muitas ZBZs e Omegas estão na mesma situação, e eu conto pelo menos 3 corpos, fora o que esta em cima da Blake.
Acho que você está se acostumando com a morte seguir vocês...
Edge estendia as mãos, e Nate suspirava fundo, as mãos apanhavam as dele, e no momento que ela ia dar o impulso, ela gritava. Um grito tão alto, de um dor tão aguda que na mesma hora Edge voltava ela a posição inicial.
E agora sim Edge você pode afastar aqueles tranqueiras e ver que tem um cano não muito grosso, mas está atravessado na coxa da Nate.
Eis o motivo de sua dor.
Os olhos azuis de Nate olhavam aquilo e ela de imediato olha para Edge, e os olhos já se enchem de lagrimas, dor, desespero, medo, tudo se mistura naquele olhar cristalino.
E me desculpa se não consigo pensar agora Edge.
Mas você não é bobo não é? Seu mental é atrasado mas você já passou por muita coisa, e qualquer um sabe que aquele pedaço de cano atravessado na coxa de Nate é o que mantem ela viva, é o que impede ela de sangrar até a morte.
Porque vocês estão um pouco longe de tudo, o frio la fora é rigoroso, poucos de vocês tem condições de sobreviver lá fora, e ninguém está ainda em condições de pensar o que fazer.
E então Edward...Você ainda quer brincar na neve?....

Natalhie Archibald

Nacionalidade : London, UK
Idade : 23
Cargo : Estudante
Humor : Seletivo
Mensagens : 756

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 15:57

Ah claro, não bastava estarem ali no meio do nada, o onibus ter virado e tudo mais. Haviam os corpos, havia o sangue, havia um monte de coisas. E a mais grave estava ali, quando ele olhava para Nate, e a mesma olhava com aquele medo nos olhos de volta para o garoto.

- Nate...NATE. Olha para mim ta legal? Olha para mim!

Erguia o rosto da namorada até os dele. Ok, alguém tem que pensar por aqui. Certo, nada de pânico. Você não pode sair, então a gente fica aqui. Edge não pode te levar até o resgate então o resgate tem que vir até vocês. Olhava mais uma vez para o ferimento e colocava os pensamentos em ordem.

- Você...A gente fica aqui ta legal? Chamamos o resgate, e eles vão ter equipamento para te tirar daqui. Eu não vou sair daqui, vou ficar com você ok?

Pegava na mão de Natalhie enquanto acariciava o rosto dela com a outra. Calma Nate, viemos até aqui e não vamos perder para um ônibus. Estamos vivos, estamos aqui. Edge esta olhando para você porque ao menos vocês estão ali, juntos e isso de alguma forma perturbadora pelo menos parece ser um ponto de tranquilidade em meio a aqueles caos todo.

- Alguém pega um celular e liga logo para o resgate? Ou para o teleférico? Eles devem ter algum tipo de resgate por la. Alguem liga para la AGORA!

È Edge, mudança de planos...Você não vai a lugar nenhum...

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Duxhill H.U. em Qui 18 Set 2014, 15:57

Morte...Dor...Desespero.

Era uma acidente, e muitos acidentes pareciam perseguir aquele grupo.

Mas agora...vocês ainda acham que é a bruxa? Não parece a forma dela de “brincar” com vocês.

Aileen vocês ainda esta atordoada tentando acordar Noah que está desmaiado. E é quando você vê aquela cena de Blake, e você pode ver bem ao lado da ruiva que parecia em choque encolhida a um canto coberta de sangue. Um lindo rapaz loiro, com a mão estendida tocando os cabelos vermelhos da garota...

Mas você sabe que ela não sente....

Só você sente, só você vê...

Você entende ele, sabe o quanto ele gostava dela...O quanto colecionava posters da head cheer, e o quanto nunca teve coragem de chegar perto, mensagens anônimas perdidas a de tantos outros naquele celular que vibrou a noite toda.
Talvez Peter, você a pudesse ter lido....

Talvez Blake você pudesse ter conhecido ele, conversado com ele, ter estado com ele, e não neste momento.

Você sabe o quanto ele queria Aileen, talvez por isto ele arriscou a própria vida, e a perdeu. O rombo nas costas dele denota que ele não esta mais ali. E ele nem sequer parece se importar com isto.

Finalmente ele tem a grande chance dele não?...


E quando você sente um assopro na sua nuca e quando olha pra trás, tem uma garota sentada em um dos bancos te olhando, aquele olhos azuis vividos. A camiseta da ZBZ exposta abaixo da jaqueta, coberta de sangue. E ela te olha com os olhos assustados, quase como se não entendesse o que está acontecendo.

_________________
. Ortus eruditio et dux optimus .
avatar
Duxhill H.U.
Admin

Nacionalidade : Cambridge, USA
Idade : 161
Cargo : Almighty
Humor : Hell
Mensagens : 2086

http://theotherside.criaforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 16:00

A pulsação ainda denunciava que ela estava viva. Um ponto positivo naquilo. Sentiu a mão recolher bruscamente. Apesar de tudo, Peter pode perceber que Blake não parecia ferida fisicamente de forma grave. Pelos movimentos, pelas ações, pelo comportamento da mesma. Via muito sangue, isso sim, mas com o afastar do banco percebeu que não pertencia a ela aquela poça.

Tornou a segurar o braço virando-se de costas para Blake e gemia baixo, a dor não passava, era maior até que o choque em ver a vítima fatal. Blake então pode ouvir barulhos fortes na lataria do ônibus, Peter começava a chutar parte do veículo na intenção de fazer barulho, para dizer que haviam pessoas vivas ainda e provavelmente precisando de ajuda.

A cabeça era incapaz de formular qualquer tipo de pedido de ajuda. O corpo permanecia encolhido, os olhos cerrados, os chutes mais intensos a lataria. Não sabia se mais alguém estava vivo ali dentro. Era provável que sim, tinha que buscar alguma forma de chamar atenção. Agora a dor na coluna passava a se misturar, mais notável, com a do braço. Não sabia se era o braço que passara a doer menos, ou a coluna a doer mais, e tampouco importava.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 16:34

- Noah...! – ela continuava insistindo, berrando, concentrada em mais nada... Ela se importava com ele, afinal, e estava morrendo de medo – Por favor...

Impulsionou o corpo para frente, tentando ignorar a dor, ou ao menos sendo forte. E quando próxima dele, certificou-se que estava respirando, pressionando os dedos na lateral do pescoço, sentindo a pulsação. Respirou, mais aliviada, e isso fez o braço latejar de maneira intensa. Ele estava vivo. Arriscou dar alguns leves tapinhas no rosto dele, na esperança de acordá-lo, mas não adiantou. Olhou em volta procurando os outros e...

Por um momento, a dor sumiu e ela apenas se concentrou na imagem do lindo adolescente loiro, perto de Blake e a olhando com tanto... Oh, meu Deus! Aileen começou a chorar em desespero, pois... pois... pois...

Ele estava morto.

Acabara de morrer... agorinha. Ela sabia... Ela sentia. Estava tão desnorteado, assustado... Será que havia notado o gigantesco buraco no meio das costas? Sim, ela via espíritos... Mas não sabia como lidar com eles. Por isso, arregalou os olhos ao constatar que não era apenas ele e... voltou a pedir clemência aos céus, porque não tinha certeza se conseguiria suportar com tanta angústia. Aileen se esforçou para ficar de pé e caminhou até a menina, e apenas talvez, ao notar que a encarada era correspondida pela irlandesa, ela se sentisse menos nervosa. Com cautela, esticou a mão, mas não podia tocá-la e confortá-la.

E machucava ter que recuar.

Machucava demais.

- Não faça nada... Apenas confie em mim. Fique... aqui.

Esperando que ela acatasse o pedido, Aileen seguiu até o fundo do ônibus, passando por cima dos corpos, com cuidado para não esbarrar em ninguém, mesmo eles estando... Não. Não pense nisso. Desculpe... Nate, Edge... Mas ela não pode ajuda-los agora. Nem a Blake e Peter. Na verdade, com aqueles olhos grandes, como os de uma criança, e azuis tão excessivamente claros, pálidos... E a maneira que encaravam o vazio, era, no mínimo, assustador.

Para Aileen, a dedução foi mais do que óbvia.

- Você foi um menino corajoso... – Aileen fungou, mas tentava se manter séria e concentrada em seu rosto, para ele ter a certeza que a garota falava com ele mesmo – Ela está bem. Vai ficar... Agora é você quem precisa de ajuda.

E Aileen estendeu a mão trêmula e ralada, não na esperança dele segurar, claro que não, mas...

Era um gesto simbólico apenas.

Como ajudaria?

Ela não tinha ideia.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Duxhill H.U. em Qui 18 Set 2014, 16:46

obs: O onibus é DO TELEFERICO, quem opera o teleferico é o motorista, acho que ele esta meio sem cabeça no momento, HAHAHAH. Credo. Mas enfim ninguem no teleferico, celulares não pegam. Melhor vocês começarem a pensar como isolar o onibus do frio Smile

_________________
. Ortus eruditio et dux optimus .
avatar
Duxhill H.U.
Admin

Nacionalidade : Cambridge, USA
Idade : 161
Cargo : Almighty
Humor : Hell
Mensagens : 2086

http://theotherside.criaforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 16:49

Peter manteve os golpes na lataria do ônibus até perceber que Aileen se aproximava, e como ele pretendia, na direção de Blake. A proximidade das duas agora era a certeza que ele precisava de que Blake seria acudida. Cessou os golpes, suspendeu aquele barulho irritante de cada novo chute e passou a se concentrar em si, agora. Rolou o corpo para onde, anteriormente, desferia os golpes, estando de bruços, novamente, e assumiu a posição fetal e o apoio firme do veículo para uma primeira tentativa falha de erguer o corpo.

Urrou de dor, o ombro esquerdo em contato com a lataria fria o derrubara novamente para a posição fetal. Encolheu-se e tossiu, num movimento rápido pegou o gorro da cabeça e colocou entre os dentes para evitar qualquer gemido de dor, não queria chamar a atenção de Aileen, ele daria um jeito, a vida sempre fora assim para Peter afinal e, sabe-se lá se aquele sangue era unicamente da ruiva. Também, com o gorro entre os dentes, na segunda tentativa, conseguiu com dificuldade se manter de pé, apoiado a lataria do ônibus. Passou os olhos úmidos pela cena de terror. Pessoas mortas, sangue por todo canto, objetos jogados e destruídos. Viu Edge falando com Nate, Nina desfalecida perdida entre alguns bancos, Aileen conversando com um morto e Blake aterrorizada com tudo chorando.

Buscou por mais pessoas que talvez precisassem de ajuda, agora de pé, poderia ainda em meio a dor tentar socorrer alguém.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Blake Harris em Qui 18 Set 2014, 17:03

Preciso me recompor...

Exatamente Blake, você sempre foi forte, você sempre esteve de pé  de cabeça erguida e ajudando as pessoas quando elas desabavam. Você não pode desabar agora.

Mesmo diante de uma pessoa morta grudada em você, do sangue nela no seu rosto, o cheiro, o gosto...As mãos apoiavam-se na lateria do carro e ela ia erguendo-se, escorada na lateriais, os olhos verdes ainda viam aquela mancha de sangue diante de si, e logo ela abaixou a Aileen que parecia falar sozinha. Mas aparentemente estava bem.
Os olhos passaram por Peter que estava se contorcendo de dor, e logo Nina, outros ZBZs, Edge falando com Nate, aquele ferro reluzia encravado na perna da menina.

Eu tenho mental 1, minha mente esta fervendo, então Edge.

Eu já sei...

Fodeu...

E por fim em Noah. Que  porra ele estava fazendo de olhos fechados. Blake deu um impulso e logo partiu na direção da dianteira do ônibus, Parava ao ver Peter, e ela logo o fitava.

- Eu espero que você esteja bem, porque quase mais ninguém está....


E era impressionante como ela recobrava o controle, e tentava ignorar o banho de sangue que havia tomado, finalmente chegava em Noah, e eu não tenho tempo de ser desesperada. Eu tenho que ser racional. Tocou a mão ao pescoço dele.
Estava vivo....

E então os olhos iam a Edge.

- Não mexe nela...Não tira ela desta posição...


Era tudo que dizia, enquanto os olhos iam até os compartimentos no ônibus, onde haviam cobertores, inclusive tinham alguns caídos por todos os lados.

- Cubram quem estiver ferido, está piorando...


Piorando? POHA O QUE?

O frio....

O motor ainda estava ligado, o que manteria aquela lata velha aquecida, mas tinha muitos vidros quebrados, neve jogada. Blake caminhou rumo a uma das janelas, e logo o corpo se projetou pra fora, com um impulso, ela tinha uma elasticidade e uma performance fora do comum, foi o suficiente para sentir o frio. Os olhos iam a estrada, tinham que subir um barranco, chegariam a estrada e de lá tinham que ir ao hospital, não havia nem sinal de ninguem ali, e quanto mais frio, menos alguém apareceria lá. Ninguem teria condições de seguir, Peter ferido, os Omegas todos feridos, Blake escorregou para dentro do ônibus.

- Tem que isolar as janelas, todas as saídas, deixar aqui o mais quente possível...eu vou la em cima pedir ajuda....


Eu devo ser a única que ainda consegue. Até que a mão de Blake que estava apoiada no vidro do ônibus, escorrega, e logo ela cai de joelhos ao chão, e de imediato os lábios se entreabrem e ela começa a tossir sangue.

Puta que pariu Blake, tem alguma coisa muito errada com você.


E a esperança diminui mais a cada segundo.

Blake Harris

Nacionalidade : Americana
Idade : 24
Cargo : Head Cheerleader
Humor : Cinica
Mensagens : 623

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Natalhie Archibald em Qui 18 Set 2014, 17:11

Nate ouvia a voz de Edge, e ela logo abria mais os olhos e voltava estes a ele, sentia o toque a eu rosto que o erguia, as mãos ficavam estendidas ao lado do corpo, ela não movia um músculo, porque sabia a situação que se encontrava, só não sabia exatamente o que iria acontecer...

Nate consentia em positivo quando ele dizia que iam ficar ali, e que ele não iria sair dali, uma das mãos se ergueu e ela tocou a dele, apertando de leve, ela sussurrou.

- Eu estou com frio....

Ela dizia com os lábios entreabertos e trêmulos, Edge gritava para alguém ligar para o teleférico, para o socorro, para o Papa. Mas o  único que podia ajudar estava la no banco do motorista, com a cabeça pendurada enfiada no vidro.

Thats the life.

Nate suspirava fundo e engolia a seco, enquanto os olhos não saiam de Edge.

Justo agora Ed...que finamente a gente parou de mentir para nós mesmos, para o mundo, justo esta que seria nossa primeira viagem, que tinha que ser especial, que tínhamos a certeza de poder andar de mãos dadas e enfrentar o mundo juntos.

Justo agora eu sinto meus olhos pesarem tanto, e lentamente os olhos de Nate iam fechando, enquanto o aperto a mão de Edge diminuía.


Edge, Edge, acho melhor você acordar sua namorada.

Natalhie Archibald

Nacionalidade : London, UK
Idade : 23
Cargo : Estudante
Humor : Seletivo
Mensagens : 756

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Noah Valmont em Qui 18 Set 2014, 20:02

- Salva o molque, larga o moleque... Tem razão, Egde, as outras temporadas deveriam ser mais simples! – Subia no ônibus, tocando o ombro de Edge ao passar, depois da ceninha de Nina.

Convenhamos, o moleque que se foda. Só não queria que essa merda de ruiva virasse sorvete.

Me sento ao lado de Blake, tentando ajudar ela a se acalmar, a recompondo após o vômito.

E...


Onde eu estou?

Morri?

Cadê o capeta de pau duro correndo atrás de mim? Preciso correr dele, no meu cu você não toca, chifrudo vagabundo.

Abro os olhos lentamente... E vejo Blake tomando meu pulso. Ok, não morri. Mas ela é o demônio em forma de ruiva gostosa com peitos grandes. Desde que me meti com essa vaca, estou sempre quase morrendo.

- Você tá legal? - Resmungo.

Como assim os outros estão piores?

Me levanto devagar, levo a mão até o rosto e vejo o sangue nos meus dedos. Ao levantar, sinto o joelho... Merda.

Mas não é nada demais, consigo me mover.

Ok, Blake está bem. Vamos sair e dar o fora daqui e deixar todos morrerem?

Desço a touca para cobrir o ferimento do supercílio, e prendo a toca mais apertada com os óculos.

E então vejo Aileen, acho que ela está com concussão, vendo alguma coisa...

- Quem queria estar salvando o moleque na neve agora, diz "Me chupa, Nina!" - Grito, conforme sinto o joelho gritando.

Edge... E Nate.

Ok, tenho vontade de rir ao ver Nate daquele jeito. Odeio essa cadela. Seria ótimo deixar ela se contorcendo lá, com a pulsação precária, fazendo ela ter que amputar a perna. Acho que você vai conseguir desconto nos Pradas se comprar um só, saci!

Seguro o riso.

E vejo Edge.

O desespero nos olhos dele.

Por que me importo com você, Edge?

Não sou sua groupie, acho seu som uma merda, e definitivamente, não quero te comer.

Por que me importo?

Blake, falando sobre o frio.

O tempo parece parar pra mim quando preciso ajudar as pessoas, e sinceramente, não ser porquê. Só ligo pra Clhoe e Blake, quero mais é que os outros se fodam. (Ok, salvaria a Aileen pra comer ela mais tarde, fiquei com essa tara depois do nosso beijo, desculpa. Qualé! Não sou de ferro!)

- Edge... - Me aproximo dele e de Nate – Ok, não podemos movimentar ela, como a ruiva já disse....O ideal era retirar esse ferro junto, e retirar em uma mesa cirurgia. Mas... – Olho por baixo, levantando minimamente a perna de Nate – Não temos como cerrar isso agora. Esse metal está diminuindo consideravelmente a circulação dela... E com o frio, Nate vai acabar comprando Pradas com desconto, pois vai levar um pé só. Então, primeiro... Preciso de um apoio na perna dela, para melhorar a circulação o melhor possível, a deixando um pouco alta... Consegue algo, Edge – Vou falando, automaticamente. Sei que pareço um robô, mas qual é... Me dá um desconto, estou ajudando – E TODOS QUE CONSEGUIREM ANDAR, VENHAM PRA CÁ! – Grito, conforme me levanto - Todos ao redor da Miss Simpatia do Edge! Encostem nela, eu sei que ela gosta! Só não vale mão boba! A melhor forma de se aquecer é nos mantermos juntos, calor humano!

Me levanto, e posiciono algumas pessoas que conseguem se aproximar - Não aproveitem a situação pra encoxar ninguém, hein, seus putos? Vamos! – Infelizmente, isso é tudo que posso fazer por você, Edge. Com sorte, ela só perde a perna... Você é tão bonzinho que vai achar legal. Tem cara que tem até tara por isso, vai que você encontra uma, não?

Próximo que parece mais zuado... Peter e Aileen.

Ladies firts, principalmente se ela não foi pro mato com a ruiva, amiche!

Aileen, minha santinha preferida.

Cara, você em um espartilho de couro vermelho....

Foco, Noah.

- Hey, lindinha... Olha pra mim – Dou um tapa em seu rosto, bem mais leve do que dei em Blake (afinal, não a encontrei trepando com outro no mato). Isso vai fazer ela parar de viajar na maionese e olhar pra mim.

Brincar de sexto sentido na minha frente? Isso não te pertence, Aileen.

Vou tateando seu braço, e vejo o ombro puxado para frente. O modo que ele está...

Não consigo identificar uma fratura, e por mais que possa ser arriscado, preciso coloca-lo no lugar.

Retiro uma das botas (a da perna boa) e o frio me faz se arrepender.

Foco, imagina ela de quatro de espartilho que o frio passa.

Lentamente, o coloco na axila de Aileen, a deixando deitada, afinal, nem a movimento para isso, só abro seu braço lentamente.

- Aileen, estava há cinco minutos te imaginando em um espartilho de couro, com cinta liga e tudo... Aquela calcinha bem fio dental, sabe? Você estava uma delícia. Estava de quatro na cama, e dizia... – Nesse momento, dou um puxão. Rápido e seco.

O ombro, com um pouco de sorte, entraria no lugar.

A distração talvez a ajudasse suportar o puxão e ela não desmaiasse, dependendo da extensão do deslocamento.

Mas pode gemer, lindinha. Sei que faço seu coração bater mais rápido.

[Fiz ele atendendo “duas” pessoas para adiantar, afinal vcs fizeram uma renca de ações =]

Noah Valmont

Nacionalidade : London, UK
Idade : 24
Cargo : Residente no DU
Humor : Obscuro
Mensagens : 395

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 20:25

Pelo visto Noah estava na lista de sobreviventes. Menos mal, ele não gosta de ficar indo a enterros e nem deixando os outros no hospital, mas vamos nos preocupar com os problemas que temos NESSA temporada para depois fazermos uma comparação mais exata. A claro esse comentário foi antes do acidente, será que o nosso Dr. Ainda não formado acabou mudando de ideia?

- Bom que seu humor não quebrou Noah...Que tal começar com os prontuários?

Falava mas não ria, não era o tipo de situação para ele ficar rindo. Blake destribuia cobertores, e ele prontamente ficava perto de Nate a aquecendo mas também a envolvendo com o cobertor. E ela parecia falar em sair.

- Se algum Omega quiser ir ajudar Blake, mas alguém que tenha FISICO par aguentar a neve eu aceito um voluntário. Eu iria Ruiva, mas vai ficar para a próxima. Você não Doutor, vamos precisar de você por aqui.

Ah o Edge também gosta de você Noah, mesmo que ele ache que a diferença de dinheiro entre vocês só seria util se você fosse começar a come-lo, ou fazr algo útil com ele. Que tal um helicóptero? Edge adoraria um helicóptero agora. Pede o da rainha emprestado que tal? Ele falava e Edge pegava uma mochila de...Alguem que ele preferia nem saber quem era para colocar abaixo da perna de Natalhie, também não ia dar muita bola para suas bobagens Noah.

- NATE? Nate? Qual é, nem brinca. Vamos, você precisa ficar consciente! Fala comigo, xinga algum dos garotos. Vai la fica falando comigo, vamos começar com o Noah, o que MAIS te incomoda nele?

Diz sacudindo o rosto de Natalhie com a mão, abraçado nela a sacudindo para que ficasse acordada, claro tomando cuidado com o ferimento.

- Vamos..Você não vai desistir agora vai? Você nunca desiste lembra? Vai passar por tudo isso para morrer em um Onibus? Imagina que ridiculo...

É Edge, segue falando e finge que você não esta morrendo de preocupação por dentro...

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 20:29

É, quisera o destino que a Srta. Cabeça vazia passasse por maus bocados. Tudo bem, Peter. Relaxa, ninguém pode ler sua mente: “Ela não merece isso...”. Babaca. Como descobrira? Blake e suas expressões. Claro. Não sabia a gravidade, mas sabia que havia gravidade. Uma estádia no pequeno pedaço de inferno que aquilo se tornará. Maldição. Corpos sem vida... Quanto tempo mais eles durariam naquelas condições precárias?

Então, uma notícia boa, o Dr Sara-tudo estava de pé e trabalhando. Com muita disposição. “Hey, o moleque é bom nisso. Bom humor numa situação dessas é genial”. Médicos treinados para serem frios e calculistas. Ele estava a caminho da profissão certa. Mais ponto para Noah? Claro... Ele parecia legal, lembrava Denis. E era tudo o que Peter precisava naquele momento, uma mente lúcida. Seguiu na direção de Noah enquanto ele ainda atendia a Aileen, após tentar colocar o braço dela no lugar.

A única coisa constante em Peter era o braço esquerdo seguro pelo direito. Tremia a mão, estava pouco arroxeado. Chegou ao lado de Noah e aproximou o rosto do ouvido dele, então, meio que inseguro soltou o braço e levou a mão ao pescoço dele, trazendo o ouvido para perto, sussurrando:

Você está bem, cara, preste atenção. Precisa orientar as pessoas para cobrirem as janelas com alguns bancos ou qualquer coisa que possa impedir o vento de entrar. Cobertores e, você sabe, calor humano.

O tom de voz diminui mais, bem mais, para que Aileen não pudesse escutá-lo agora, deixando as palavras restritas a Noah.

Eu vou atrás de ajuda, alguns não sobreviverão sem resgate.

Deu dois tapinhas camarada as costas dele e se ergueu, tornando a segurar o braço esquerdo. Seguiu até Blake e a colocou sentada, escorada numa das poltronas.

O nosso médico já vai cuidar de você.

Apanhou rápido um dos cobertores, cobriu ela, alcançou outros para mais estudantes ali, incluindo Edge e Nate, guardando um pra si. Logo fizera da janela sua porta de saída do local. Abrigou-se no cobertor, não sem antes recolocar o Gorro na cabeça, sabia o caminho do hospital ainda que sua maior busca fosse uma área em que o celular obedecesse ao sinal.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Natalhie Archibald em Qui 18 Set 2014, 21:05

Nate estava com a cabeça tombada para o lado e os olhos fechados, os lábios aos poucos começavam a ficar roxos pelo frio, e a pele estava mais pálida. 

Noah pedia aquilo e logo alguns Omegas e ZBZs ficavam a volta, passando calor humano para a garota. 

Edge envolvia as costas de Nate e a abraçava e a sacudia, era quando os olhos se entreabiam e focavam nele, ela ouvia o que ele dizia e sussurrou.

- Não vou desistir....Odeio ônibus...e....neve....

Dizia enquanto os olhos piscavam e depois ela os abria mais como se estivesse se esforçando para deixa-los abertos. Edge a cobria, o que parecia melhorar um pouco o estado da garota, mas ela se sentia cada vez mais cansada, e com mais frio.
O rosto ficava meio tombado acomodado ao peito dele, e ela mal ouvia o que Noah falava, alias ela mal via ele, os olhos focavam em silencio as janelas cobertas de neve. A mão ainda estava sobre a de Edge e ele podia sentir como começava a ficar cada vez mais gelada, enquanto os lábios ficavam entreabertos e era notável a dificuldade de respirar.

- Olha...

Ela psicava os olhos sem tirar os olhos da janela, e murmurava.

- Eu não vou desistir...- Edge podia sentir a pequena mãos e agarrando com força a dele, enquanto Nate mantinha-se ali, o corpo não movia um musculo, como se fosse eminente a dificuldade de o fazer, a perna ficava sobre a mochila. E aos poucos Nate começava a ouvir as vozes mais longe, era como se tudo estivesse longe, e novamente os olhos teimavam em fechar. Mas logo abriam.

- Será....que...você....consegue....

Falava coisas um tanto desconexas e os olhos nem por um instante saiam da neve a janela....



- Eu odeio a neve....

Natalhie Archibald

Nacionalidade : London, UK
Idade : 23
Cargo : Estudante
Humor : Seletivo
Mensagens : 756

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 21:07

Não é que não estivesse preocupada com os outros... Mas ela simplesmente não conseguia se concentrar em outra coisa que não fosse o sofrimento daquele desconhecido. Era tão estranho, tão... Mesmo em espírito, ele estava com o rosto avermelhado, como se ainda fosse atingido pelo frio. Como ela conseguia diferenciar...? Tirando o corpo morto logo a frente, não tinha nada que lhe indicasse tal condição... morta.

Ela apenas sabia.

- Por favor...

Sério mesmo que você achava que era alguma espécie de alucinação, Noah?

Normal não era, mas brincadeirinha de uma mente criativa? Também não.

Quem lhe dera fosse.

O tapa em seu rosto a fez piscar os olhos, levando um susto. E estes se arregalaram ainda mais ao encararem Noah... Meu Deus! Ele estava morto?! Não... Nossa, não.

Você também era o príncipe sádico preferido dela, Noah. Por sorte, ela só te conhece mesmo, caso contrário...

- Noah...? Você não está...

Sentia-o mexendo em seu braço, e ela ficou tensa, pois doía. Muito. Mas... Em sentido 'primeiros socorros', ele era o mais confiável ali.

- Não está quebrado, só... O que você está fazendo? - mas Aileen não o interrompe - Noah, o que você... Ahn?!

E parabéns! Afinal, somente você para fazê-la corar no momento mais inoportuno do mundo!

- Não é hora de... AH! - sim, ela geme.

E mais do que isso, ela chorou e gritou, além de apoiar o rosto no ombro de Noah, por um instante, enxergando tudo preto e com estrelinhas dançando, brilhando e quase cantando diante dos olhos cerrados com força. Mas ela não desmaiou, e parece que deu certo.

Após um tempo, ela afasta a cabeça e te encara, a expressão ainda sofrida e a boca tremendo, tentando conter os soluços.

- Não estou alucinando... - e voltou a olhar para o lado, para o rapaz - Ele é bem real.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Blake Harris em Qui 18 Set 2014, 21:16

Blake sentava-se praticamente jogando as costas em uma das janelas fechadas, e logo passava as costas das mãos aos lábios limpando o sangue. Noah sempre sendo Noah começava a atender as pessoas.

Blake apoiava as mãos as janelas  era no momento que Peter vinha cobrir ela, os olhos ficaram aos dele alguns instantes, e ela estava ofegante. Engoliu a seco, e sussurrou.

- Eu não sei o que tá acontecendo comigo....

Nem eu ruiva, nem eu...

E então Peter simplesmente ia sair, mas neste momento ele pode sentir a mão da ruiva firme segurando a roupa dele, ela puxou ele pra perto e sussurrou.



- Se não levar a Nate, ela vai morrer...

Soltava ele, e logo erguia o corpo, caminhando até Noah...As mãos foram aos ombros dele, e ela estava começando a ficar grogue.




- Noah...Ela não vai resistir, você tá me entendendo...- Os olhos verdes estavam aos dele, e ela sabia que de algum modo podia existir uma saída, mas era insanidade, e desculpe Noah se eu não to em condição de falar, mas você esteve na minha mente. Você sabe ler ela.



- Tem que levar ela...agora...- Era o que Blake dizia enquanto, aos poucos ela parecia se recuperar, sacudia a cabeça como se buscasse recuperar todos os sentidos, e os olhos ficavam em Noah.


Isto agora vai lá e convence o Edge....

Aileen já parecia um pouco melhor, e Peter estava com o ombro completamente fodido. Blake não tinha condições de carregar Nate, então era Peter que teria que levar, a questão é? Eles iam chegar a tempo...

- Eu vou com você....Eu consigo andar...

Claro o resto tudo fudido por dentro é mero detalhe. – Os olhos iam fixos em Peter. Não vai me contrariar de novo, eu vou e acabou.

- Temos que levar ela e chamar ajuda....


COMO BLAKE? VAI LEVAR ELA, O ONIBUS INTEIRO GRUDADO NELA? PORRA


Obvio que os alunos já haviam cobertos as janelas e faziam de tudo para manter o ônibus aquecido, até quando o motor ia ficar ligado? Até quando a gasolina ia durar?

Aileen o rapaz e a garota ambos so parecem te olhar assustados, eles simplesmente não te conhecem, não entendem o que você diz, não sabem o que está acontecendo. E é no momento que Noah se aproxima que as imagens simplesmente somem.
Mas eles não “atravessaram”, você sabe...

Blake Harris

Nacionalidade : Americana
Idade : 24
Cargo : Head Cheerleader
Humor : Cinica
Mensagens : 623

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Noah Valmont em Qui 18 Set 2014, 21:40

Peter, você não sabe o que é ser frio e calculista.

Graças a Deus ninguém aqui lê mente, só turnos, né?

Porque você iria ver que eu na verdade sou mais frio e calculista que qualquer bom doutor que esteja por ai (Ok, talvez Hunder ganhe de mim, ele era um gênio!)

O novato se aproxima, e me pega pelo braço, me dizendo algo.

Movo a cabeça afirmativamente, e direciono meu olhar para Nate. Eu diria que ela vai morrer, mas... Não quero dizer isso na frente de Edge, sabe?

- Rápido... E cuidado – E dessa vez eu me importo, meu rabo tá em jogo também.

E logo, faço Aileen gemer – Exatamente! Como você sabia que tinha dito? Foi um pouco mais delicado, mas... – A abraço, contendo seu choro e acomodando sua cabeça, rindo um pouco.

Qualé, rir nessas situações é legal, vai...

Você vai conseguir movimentar, Aileen, mas vai ficar um tanto quanto... Dolorido.

E logo ela vinha me falar do cara.

Cerro os olhos, e olho em volta por alguns segundos – Ok, eu acredito – E o pior que acredito mesmo- Mas cuidado ao falar, ou demonstrar... Nem todos passaram pelo o que passamos, e lembre-se que queimaram Joana D’arc por menos. Mas se ele falar algo que possa nos ajudar, me avisa... – Exibo um pequeno sorriso, e falo em tom de voz baixo.

Assim que me levanto, Blake praticamente despenca em mim.

SPOILER ALERT!

Ow!

Não fala agora que a menina vai morrer! Isso vai desesperar o Edge!

Você acabou de matar anos e anos de letras na sarjeta, que Edge cantaria! Falaria de Nate para sempre. Agora ele vai ficar maluco, lá, não vai fazer mais músicas, e vai terminar cheirando, com um revolver do lado da cabeça.

Pensando na qualidade musical.... BOA BLAKE!

- Eu não posso tirar ela, ruiva – Respondo, cerrando os olhos – Se ela começar a vazar por ali, não vai durar muito, eu estou com medo de ter cortado a femoral... E você não vai a lugar algum... – A enrolo com um cobertor, e lhe entrego um cantil com água, jogado em algum lugar – Molhe só os lábios, não beba – Digo enquanto meço seu pulso, ao mesmo tempo, penso em Nate.

Eu sei que você está certa, Blake.

Nate está morta.

Só estou prolongando a vida dela.

Não tem como salvá-la. Só podemos assistir de camarote Edge ficando triste.

A não ser que...

Mas... Isso é muito arriscado.

E o que vão pensar de mim?

Um médico nunca iria sugerir isso.

Sob qualquer hipotse.

Não posso.

Então olho para Edge...

“Vai passar por tudo isso para morrer em um Onibus? Imagina que ridiculo...”

Cerro o olhar.

É como se doesse ouvir aquilo.

Sinto minha garganta fechada.

Eu não posso sugerir isso, só alguém muito doente e cruel ofereceria.

Aposto que você só pensou em arrancá-la de lá e correr, né, Blake? Deixando um belo rastro carmesim para trás.

Só tem dois jeitos de fazer Nate aguentar isso, e talvez... Eu disse, TALVEZ, sobreviver.

Suspiro, e caminho até Edge, passando por cima das pessoas.

Puxo Edge, para que ele se levante, e Nate não ouça.

Olho para seus olhos. Seu desespero.

Eu não deveria me importar assim...

Não deveria sugerir isso.

- Olha....- Mordo o lábio inferior, e falo mais baixo – Nessa situação, se ela só perder a perna, seria sorte. Blake está certeza. Precisamos tirá-la daqui... Mas só há um modo, ao meu ver... – Falo ainda mais baixo. Eu não sei de onde tirei essa ideia... E eu sei o quanto vai ser cruel, na verdade, estou maluco para ver se vai dar certo, mas ao mesmo tempo, quero salvar essa vaca. Por você, seu Justin Bieber de bosta – Mas... Se ela sentir mais frio, em estado de hipotermia...A hemorragia dela vai ser bem baixa, e conseguiríamos leva-la até a cidade, mas... – Ele volta o olhar para os demais no ônibus – Com isso podemos arriscar a vida de todos, que podem entrar em hipotermia, já que vamos precisar abrir pelo menos a janela de Nate... E ela pode morrer no caminho, caso a gente demore muito. E sinceramente, não acredito que vamos conseguir salvar a perna dela, as chances de sobrevivência nesse cenário são mínima, mas há uma chance de salvar ela... Só ela. Se tudo der certo, e ela manter a perna... Você vai ter que abrir uma igreja em meu nome. Me desculpa por isso, mas... A escolha é sua – Sentencio, por fim.

Noah Valmont

Nacionalidade : London, UK
Idade : 24
Cargo : Residente no DU
Humor : Obscuro
Mensagens : 395

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 21:53

ADENDO:

Edge sorria, e apertava a mão da namorada de volta. Claro, queria razão maior para ele sorrir do que aquela?

- Imaginei que você não ia, você é a garota mais TEIMOSA que eu ja vi...E porque não gostar de ônibus? Ta, quero dizer, tirando esse contratempo.

Tentava manter Nate atenta, falando, aquecida e desperta. Não estava muito preocupado com o que ela falar fazer sentido ou não, apenas em manter ela consciente e falando.

- Ok...Eu prometo que compro um carro quando sairmos dessa, mas eu vou manter a moto. Temos um acordo?

Olhava pela janela junto com ela, maldita idéia Logan, você e suas idéias. Edge vai se manter preocupado em não fazer grandes viagens nos próximos semestres. Deixava um beijo na testa de Nate, vamos...Você vai ficar bem...

- Certo, nada de brincar na neve...

Olhava Para Noah, ja que o seu "grande amigo" queria que ele se levanta-se para falar algo, Edge balançava a cabeça negativamente.

- Foda-se Dr, eu vou falar para ela de qualquer forma.

Edge ficou em silêncio e ouviu tudo aquilo, ele balançou a cabeça negativamente e deu um sorriso desanimado.

- Cara, você é PÉSSIMO com as palavras, você bate na cabeça das garotas com dinheiro de onde você vem? Sabe Noah...Você ja deve ter notado, mas "desistir" e "saídas fáceis" não combinam muito conosco aqui em DU, e você deve ter a cabeça do tamanho de uma nóz se ainda se prende a lógica e coerência por aqui...Mas eu gosto de todo mundo Noah...

Balançava a cabeça negativamente, a Noah...Eventualmente até um cara legal como o Edge quer te encher de pancada. Porque você é uma versão se carisma do Logan com um pouco mais de cérebro.

- Então voltando a nossa situação, tudo ou nada Noah. Porque sei que ela consegue, ela é a forte do grupo. E surpresa, vamos tirar ela daqui e eu não vou deixar vocês levarem. Vai ter que me aguentar, se se comportar eu até autografo um CD para você.

Sem negociação, sem discussão, e sem "sacrificios". Sempre foi assim e não vamos começar agora.

- Nos conte qual o plano Dr...


Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 22:08

É! Era muito, mas, MUITO mais grave do que Peter podia imaginara. O último resquício de vida de Nate. Ela estava entre a vida e a morte, e estaria entre a vida e a morte uma segunda vez caso o trajeto até o hospital fosse a opção escolhida. Peter precisava esperar, as palavras da ruiva faziam sentido. Estava quieto, não opinava quando lhe faltava completamente o xis da questão e, medicina era Grego pra ele, em se tratando do estado que Nate se encontrava.

Esperaria, mais um pouco, o que não o impediu de sair do ônibus e ver o tempo lá fora, o que teria que enfrentar pela frente. Não, essa não era a preocupação principal dele, a dor sim, e se colocava entre algumas árvores próximas ao ônibus, de modo a cobrir-lhe o corpo para urrar em silêncio. Tivera sucesso passando confiança para Noah, que tinha preocupações muita maiores. Isso atentava a favor de Peter, controlar a dor, passar despercebido, mas sabia que era o único capaz de leva-la. Não podia demonstrar fraqueza, por isso a omissão. Dor, deixa pra depois. Insuportável, maldita. Estava abrigado com o cobertor enrolado, a mão mais roxa, a esquerda, coberta, tremia.

Respirou fundo algumas vezes se contorcendo e tomou a postura “iron man” voltando ao ônibus. Tinha algumas escoriações no rosto, mas nada grave. Pequenos arranhões, cortes superficiais.

Aguardava o aval de Noah, o mais capacitado ali entre as vítimas.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Convidado em Qui 18 Set 2014, 22:12

E ela olhou...

Mas...

- Oh, não...! Ele sumiu...

Olhou para trás e a menina também já não estava mais lá. Porém, ela sentia que as presenças... Existiam coisas que Aileen, por mais que desejasse, não conseguiria explicar. E nesse ponto, entrava a questão de confiança. Quando ela dizia algo, crianças, apenas... acreditem. Apenas isso. Aliás... Belo comentário, príncipe. Mas se bem que... Esfregado do jeito certo, gelo podia mesmo queimar. Será que numa época passada, as pessoas a chamariam de bruxa? E por que diabos pensar nisso agora?

Concentre-se, Aileen.

Ela apenas concordou com um aceno e não falou mais nada enquanto Noah se afastava, o observando e... Nate. Por que todos estavam em cima dela como...

- Natalhie...

Aileen estreitou os olhos e viu.

Seu coração parou.

A respiração sumiu.

E o rosto ficou pálido.

- Não...

O que era aquilo?

Um passo e ela estancou. Levou a mão ao peito, como se a barra que estava atravessando a perna de Natalhie a tivesse atingindo bem no meio do coração, causando uma dor que enfraquecia seus joelhos e... ameaçava quebrá-la por dentro.

Não... Por favor, não.

Tinha uma sombra brincando ao redor deles... Deles não. De Nate. Ela tremeluzia como o fogo, aumentando, diminuindo, preparando um bote poderoso e... fatal.

- Não vou deixar...

Ela já vira almas, pessoas morrendo, conhecia a morte e todos os seus derivados. Mas nunca, NUNCA, viu a morte personificada.

Mas agora estava vendo.

E ela veio buscar Natalhie.

- NÃO!

Aileen correu, ignorando todos que a encaravam, espantados, e Noah... ela não seguiu exatamente o seu conselho. Colocou-se na frente da sombra, os olhos arregalados e o rosto coberto por lágrimas. Estava numa postura defensiva, a expressão séria e os lábios repuxados para cima, como uma gata arisca. E balançava a cabeça em gestos negativos e muito lentos.

Parecia louca... mas, infelizmente, era a mais 'consciente' ali.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um novo dia para Morrer

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum